Janaina & Anderson


18/03/2011


Minhas damas!

Não terei daminha de honra no meu casamento! Combinaria comigo, porque quem me conhece sabe o quanto amo crianças, mas, não terei, porque atualmente não tem nenhuma especial nas nossas vidas. Eu acho que a criança tem que ser muito próxima de você neste caso. E também para quem me conhece sabe o quanto gosto de coisas diferentes, então, embora ache lindo e me encante com elas em casamentos alheios, para o meu eu vou dispensar aquele ooohhhhhh quando entra a daminha, para dar a honra à três amigas e a uma das minhas irmãs de serem minhas damas.

Engraçado que quando falo que não vou ter dama criança, e sim damas adultas, muita gente me olha com uma cara, e eu entendo, afinal, aqui no Brasil não existe ainda esse hábito, AINDA está fora dos costumes (assim, como muitas coisas que me inspiram para o meu casamento). Nos EUA isso é muito popular, são as bridesmaid ou demoiselles. A tradição de convidar as melhores amigas para serem damas de honra vem da idade média. Naquela época, as amigas se vestiam de forma parecida a noiva, e entravam antes, para assim confundirem os espíritos do mal e da inveja. Elas eram uma forma de proteção de que nenhuma energia negativa chegaria na noiva.

É claro que não foi por este motivo que escolhi as minhas, até porque, elas não vão estar em nada parecidas comigo! Eu as escolhi por serem especiais, e porque gostaria muito que elas tivessem uma participação mais que especial no meu grande dia!

Existem ainda pessoas que me perguntam, qual a função delas? Função? Ai jesus! Elas não fazem parte de nenhum item casamentício que tive que cotar para ver se compensava ter ou não. Elas fazem parte da minha vida, da minha história... não as chamei para que elas fiquem me fazendo favores (embora eu já tenha pedido um, rs), eu as convidei porque quero simplesmente que estejam ao meu lado no dia mais importante da minha vida! E quando me perguntam se elas aceitaram numa boa... simmmm, aceitaram o convite sim, e com muita alegria!!!

Elas até já alugaram seus vestidos. Foi muito especial poder ver as três juntinhas empolgadas. Digo três, porque das quatro, três entram juntas antes, e acharam que seria legal que o vestido fosse do mesmo modelo. E a outra, que é minha irmã, entra sozinha, porque vai levar as alianças... aí o vestido será da mesma cor, lilás, mas, não o mesmo modelo. Elas ficaram lindas! Eu tirei uma foto para colocar junto com este post, mas, infelizmente, não sei porque não consigo baixar do meu celular. E a única coisa que sinto pena, é por não poder vê-las entrando (isso vai ficar para o vídeo), já que elas entram antes de mim, exceto a minha irmã, nessa hora já estarei vendo de "camarote", rs.

Então, para responder a todos que me perguntam sobre a "função" delas, aí vai a resposta: eu faço e elas fazem questão de estarem comigo no dia em que começarei a trilhar uma nova e tão importante etapa da minha vida e isso quer dizer, que mesmo depois de casada elas continuarão a fazer parte dela.

Meninas, amo vocês! Muito obrigada.

Escrito por Jana às 17h42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

16/03/2011


4 meses!!!

Ai ai... 4 meses! Tá chegando, né?! Pense em uma noiva ansiosa! Aliás, acho que toda noiva é ansiosa, né?!

Não tem como não ser! É tanta coisa na cabeça da gente... deveriamos até ter um mês de férias extra. Quem apoia?

Os últimos finais de semana tem sido correria total, ainda tem muitos detalhes para serem resolvidos... mas, eu não posso reclamar, eu adoro esse corre, corre, é muito bom ver um sonho sendo construido.

Eu achei um texto que gostaria de compartilhar com vocês, ele fala um pouco de como é a vida de casado, coincidentemente, tenho conversado bastante com uma noivinha da Santa Teresinha, a Mari do blog http://marinoivaferraz.blogspot.com e ela estava comentando do medo da convivência do dia a dia do casamento, então, achei o texto propício.

A vida a dois

Dividir o mesmo teto... dividir as despesas...

Dividir o último pedacinho na barra de chocolate...

Dividir os problemas, as vitórias, os sonhos... a vida.

Ser casado é aprender a dividir.

É saber que nunca mais será só você.

Saber que tem alguém com quem se pode contar.

E entender que tem alguém que sempre vai precisar de você.

O que antes era emoção, muitas vezes vira rotina...

Não, rotina não é algo sempre ruim.

A doce rotina de estar junto... é uma alegria.

Ter a certeza que é fato imutável a presença do outro ao seu lado, é uma das certezas mais gostosas da vida.

Ser casado é brigar e não conseguir ficar brigado por mais de cinco minutinhos... porque o outro está ali, logo ali, do lado,

e mesmo se ele estiver errado, você se lembra que ele é quem você escolheu.

Ele é quem você sonhou para ser seu, e agora é sonho realizado.

Ser casado é pensar no plural, e não mais no singular.

Ser parte de alguém e ter alguém como parte de você.

É perceber que os dias passam muito rápido, desde que você o tenha todos os dias ao seu lado,

mas, ao mesmo tempo os poucos meses de casado, já parecem anos...

A impressão que dá é de nem se lembrar como era sua vida antes dessa história começar.

Enfim, depois de tanta divisão, tanta rotina...

Você descobre que um só dia longe parece tão doloroso, tão eterno, infinito...

E quando esses dias acontecem, você tem mais certeza do que nunca,

que Deus não te colocou no mundo para viver a vida sozinha,

mas, ao lado dele, para todo o sempre.

Escrito por Jana às 09h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Histórico